Total de visualizações de página

sábado, 10 de julho de 2010

DICAS DE PRODUÇÃO NA CONFECÇÃO

Não só em tecnologia as confecções têm mudado, como também no perfil de seus chefes, encarregados e líderes de um modo geral. Talvez essa seja a mudança mais importante que essas empresas devem passar.
Antigamente, a encarregada de produção da costura de uma determinada empresa, por exemplo, deveria ser aquela pessoa que “entendesse” simplesmente do processo produtivo, ou seja, aquela que sabia a seqüência operacional da maquina, assim como também deveria saber costurar. Isso era o bastante para atender essa necessidade de atuar como “encarregada de produção”.
Hoje essa encarregada está em vias de extinção, pois a encarregada de produção deverá ser aquela que reúna outras qualidades que outrora eram desprezadas:

• Deverá ser líder
• Saber motivar a equipe, através de resultados
• Saber aproveitar de melhor maneira possível a mão-de-obra
• Equilibrar as diferenças das operações de um produto
• Raciocínio rápido

Liderança
Para ser um lider, o novo funcionário deve saber que acima de equipamentos e processos estão as pessoas. Ela chefiará “gente” e gente precisa ser tratada como gente. Não existe mais lugar para encarregadas “xerifes”, aquelas que acham que ”chicote” é o melhor remédio. A verdadeira encarregada de produção deve conquistar a equipe, passar confiança, saber aproveitar da melhor maneira o potencial dessa equipe. Muito poderíamos falar sobre liderança, mas fica claro que o grupo de costureiras está esperando um que seja justa, transparente e acima de tudo, assumindo erros e acertos do grupo.

Motivação
A nova encarregada é aquela que busca na motivação os bons resultados. Ela sabe “puxar” produção, seu entusiasmo é contagiante e não se intimida diante dos problemas, sempre está ”levantando” a moral do seu grupo, comemorando as vitórias, “respirando” números e buscando metas traçadas. Ela cobra, dá ênfase à resultados e consegue transmitir essa filosofia à sua equipe.

Mão-de-Obra
Para aproveitar a mão-de-obra, uma encarregada de produção eficiente deve conhecer profundamente cada uma das costureiras para que consiga colocar a pessoa certa no lugar certo. Muito embora uma das características da nova costureira seja a polivalência, é preciso saber onde cada costureira se encaixa melhor.

Equilibrar as operações
Provavelmente essa é a tarefa mais importante que a encarregada precisará praticar. Saber equilibrar a diferença dos tempos das operações. É muito comum verificar no meio das máquinas de costura acúmulos de serviços. Isso caracteriza a falta de equilíbrio no processo. É óbvio que as operações mais rápidas necessitam menos minutos, operações mais demoradas mais minutos, para serem concluídas. Geralmente, a encarregada, sem visão, acaba colocando cada costureira para fazer as operações na mesma quantidade de minutos, o que ocasiona o acúmulo a que nos referimos acima. Tudo isso só será possível evitar se essa encarregada “estudar” o modelo em seu processo. Analisar os tempos de cada operação, não permitir que uma operação seja feita em maior quantidade que outra.

Vejamos o produto abaixo:

No exemplo verificamos que a operação 4 (gargalo) limitou a produção do Produto A em 30 peças por hora. De nada adianta fazermos 120 na 1ª, 60 na 2ª e 80 na 3ª, se a operação 4 só liberará para a 5ª operação 30 peças.
Seria mais inteligente fazermos 30 peças em todas as operações e assim reduzir a necessidade de mão-de-obra. Nesse caso, as costureiras trabalhariam (com sua polivalência) somente os minutos necessários para realizar 30 peças em cada operação. Certamente a “velha encarregada” colocaria 5 costureiras, cada uma executando uma operação o tempo todo, criando assim aquele acúmulo entre as operações, sem que o resultado final fosse melhor.

Rapidez no raciocínio
A encarregada “moderna” é aquela que administra a produção, ao contrário daquela que no passado executava tarefas que cabiam às costureiras ou ajudantes. Era muito comum encontrar uma encarregada costurando para cobrir ou ajudar uma costureira, ou mesmo tirando serviço de máquinas. Ela acreditava que estava resolvendo um problema, mas na realidade estava deixando de enxergar problemas muito maiores. Pura falta de visão! Essa nova líder deve ter raciocínio rápido, ser dinâmica, tomar decisões imediatas, pois deve ter em mente que o maior inimigo da produção é o relógio.
Portanto para ser encarregada de costura não é o bastante “conhecer” costura, mas muito mais que isso, é necessário ter “escola”, literalmente.

Fonte: jrconsultoria@terra.com.br

3 comentários:

Morena linda disse...

Perfeito,o conhecimento operacional e importante mas o conhecimento de toda equipe só vem a agregar.

Morena linda disse...

Perfeito,o conhecimento operacional e importante mas o conhecimento de toda equipe só vem a agregar.

Vanessa Alves De Oliveira disse...

Gostei muito da matéria!